Nome
Notcias

DENGUE NS1

Sbado, 28 de Julho de 2012

Inverno, com o aumento das chuvas, consequentemente com o acúmulo de água, tende a elevar o número de casos de dengue, pensando nisso o LAMEPI investe em tecnologia e inovação e passa a adiquirir um novo exame na luta contra essa temida doença: O Teste rápido NS1.
 
Novo exame da dengue


          Um novo estudo recomenda que os profissionais da saúde adotem exame de sangue teste rápido NS1. Além de comprovar que o resultado obtido com esse teste é mais rápido e eficaz do que os disponíveis atualmente, a pesquisa identificou que o teste rápido é detectável até o sétimo dia da doença com segurança.
          A dengue é uma doença aguda, de rápida evolução, com sintomas semelhantes ao de outras infecções, mas que em um número reduzido de casos pode assumir extrema gravidade, a chamada dengue hemorrágica. Sem uma terapia específica, a redução das complicações - e consequentemente da mortalidade - depende do diagnóstico precoce e do manejo correto do paciente.
          A proteína pesquisada no NS1 tem sido reconhecida como um importante imunógeno em infecções por dengue, além de estar presente em altas concentrações no soro de pacientes infectados com o vírus durante a fase clínica inicial da doença.

Diagnóstico mais rápido da dengue

         O primeiro trabalho no Brasil a avaliar o desempenho da detecção dessa proteína como método de diagnóstico de dengue foi realizado por pesquisadores da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (USP).
"As análises da sensibilidade, especificidade e valores preditivos positivos e negativos mostram que esse teste poderia entrar como rotina na detecção viral no sistema público de saúde, proporcionando diagnóstico mais rápido da dengue", disse Benedito  Antônio Lopes da Fonseca, professor da disciplina de Moléstias Infecciosas e Tropicais de FMRP-USP e coordenador da pesquisa, à Agência FAPESP.
          A pesquisa analisou amostras de 250 pacientes com suspeita de terem contraído a doença atendidos no Pronto Atendimento do Centro Saúde Escola e na Enfermaria de Moléstias Infecciosas e Tropicais do Hospital das Clínicas da FMRP-USP. Os resultados obtidos com o teste rápido NS1 foram comparados com os apontados pelos métodos de diagnóstico usados atualmente.
Resultado no tempo certo

         O NS1 apresenta vantagem também sobre a técnica de detecção de anticorpos da classe IgM (imunoglobulina M) antidengue, chamada MAC-Elisa. Esta não pode ser utilizada para diagnóstico na fase aguda da doença porque a IgM se torna detectável entre cinco e dez dias depois do aparecimento da febre em casos de infecção primária e, em alguns casos, é de difícil detecção em infecções secundárias. Por isso, costuma ser utilizada somente a partir do sexto dia da doença.
         "A questão é que, nesse momento, o paciente ou já sarou ou evoluiu para um quadro mais grave. Já a proteína estudada no teste rápido é detectável desde o primeiro até o sétimo dia da doença, permitindo o diagnóstico rápido e a implementação das medidas terapêuticas", disse Fonseca.
       O diagnóstico nessa fase é extremamente importante. Como o tratamento se resume em hidratação vigorosa, essa estratégia é contraindicada em outras doenças com manifestações clínicas semelhantes, como, por exemplo, a hantavirose.

Exame no pronto socorro

Segundo o professor da FMRP-USP, o ideal seria que a rede pública estivesse aparelhada para realizar o exame no pronto atendimento. Não há necessidade de sala especial. Dessa forma, o resultado do NS1 chegaria praticamente junto com os demais realizados, como o hemograma, por exemplo, e, com isso, o médico poderia diferenciar caso a caso e teria mais segurança e agilidade na tomada de decisão.
         "Se o NS1 mostrar que o paciente tem dengue e o hemograma demonstrar hemocentração - sinal de dengue hemorrágica - precisará ser tratado adequadamente. Se o paciente tem dengue, mas o hemograma está normal, isso significa que ele pode ir para casa e receber hidratação oral. Ou o contrário: o paciente não tem dengue, mas está com um hemograma alterado. Isso pode indicar que o problema pode ser uma pneumonia ou uma infecção urinária, entre outros", exemplificou.
Na preocupação com a sua saúde o LAMEPI realiza o teste rápido de NS1, consulte o profissional de saúde, converse com uma de nossas atendentes.


Fonte: Agncia FAPESP
ImprimirVoltar
Rua Jos Pinto de Barros, 43, Centro - Palmeita dos ndios/AL
Fone: 82 3421.2827 / Fax: 82 3421.3337
E-mail: lamepi@bol.com.br